Total de visualizações de página

domingo, 6 de novembro de 2011

Missão India - parte 1 (panorama espiritual e social)



As religiões da Índia, também chamadas de religiões dármicas, são o conjunto das tradições religiosas correlatas que se originaram no subcontinente indiano, nomeadamente o hinduísmo, o jainismo, o budismo e o sikhismo, inclusive os seus derivados e várias outras tradições a elas relacionadas.

Formam o subgrupo da classe maior das "filosofias orientais". As religiões da Índia tem similaridades em credos, modos de adoração e práticas associadas, principalmente devido à sua história de origem comum e influência mútua.

Dentre os mais de 330 milhões de deuses (isso mesmo!), o mais popular e adorado é Shiva, o "deus transformador" (foto abaixo) .



A criação do yôga, prática que produz "transformação" física, mental e emocional, portanto, intimamente ligada à transformação, é atribuída a Shiva. Para os hindus, Shiva é o deus supremo, o meditante e o benevolente, onde reside toda a alegria.

O Rio Ganges

O banho nas águas do rio Ganges é sagrado, e ganha dezenas de milhares de praticantes durante os eclipses lunares. Pela manhã e ao pôr-do-sol, realizam-se banhos rituais que "purificam" os indivíduos. As orações diárias, são entoadas para o próprio rio, oferecendo-se lamparinas a óleo.

Alguns hindus acreditam que uma vida não é completa sem um mergulho no Ganges pelo menos uma vez na vida. Muitas famílias hindus conservam um frasco com água do rio em suas casas, hábito que é considerado prestigioso, para que pessoas à beira da morte possam beber de sua água; muitos hindus acreditam que o Ganges pode limpar uma pessoa de todos os seus pecados, e poderia até mesmo curar doenças.

As escrituras antigas mencionam que a água do Ganges possui as bençãos dos pés do Senhor Vishnu (outro importante deus hindu); assim, a "Mãe Ganges" também é conhecida como Vishnupadi, que significa "pés de Vishnu".
Entretanto, não somente hindus, mas tambem muçulmanos da Índia e do Bangladesh frequentemente praticam o "wudu", um ritual de limpeza religiosa do corpo feito antes das orações, nas águas do rio.
Para os hindus, o Ganges não é apenas um rio, mas também uma divindade materna, um conjunto de tradições, e muito mais.

Em trecho do rio localizado em Varanasi, o mais sagrado do país, o nível de bactérias excede em 3 mil vezes o permitido! Outro problema é o ritual da cremação dos mortos em sua orla. Dependendo da casta e da situação econômica da família, muitas vezes os corpos não são cremados corretamente e/ou jogados inteiros no rio, contaminando-o. 


O sistema indiano de divisão da sociedade em  castas é dividido de acordo com a estrutura do corpo de Brahma. As quatro principais castas são:
A "poeira sob os pés" não foram originados do corpo de Brahma, por isso não pertencem às castas, mas tem um nome: são os Dalit ou párias, chamados de intocáveis (a quem Mahatma Gandhi deu o nome de Harijan, "filhos de Deus"). São considerados impuros e, por isso, ninguém ousa tocar-lhes. Fazem os trabalhos considerados mais desprezíveis: recolha de resíduos, coveiros, talhantes, etc.
Fora do sistema das castas, também existem os Adivasis (povos tribais) e os Mechhas (estrangeiros).

Se por acaso infringir as normas da sua casta, o indivíduo é expulso, tornando-se um pária ou intocável (dalit).

É generalizada entre os hindus a crença na reencarnação, no eterno retorno das almas à vida que podem ser acolhidas inclusive em animais. Tem como ideal a seguir  as quatro etapas da vida, onde o homem, depois de estudar, casar-se, trabalhar e constituir família, renuncia à vida mundana e se dedica inteiramente à busca da iluminação, através do yoga (meditação e a outras práticas espirituais), vivendo como eterno peregrino, em reclusão na floresta ou nas montanhas, sobrevivendo à custa de esmolas e oferendas de comida, que lhe estão culturalmente asseguradas pelo resto da população.

Apesar do sistema de castas ter sido rejeitado pela Constituição Indiana de 1950 (devido à pressão de políticos ocidentalizados), ele continua a fazer parte da cultura da Índia moderna. Atualmente, no hinduísmo, existem mais de 3.000 sub-castas não-oficiais.

(figura das 4 castas ao redor do corpo do "deus" Ganesha, filho de Shiva.)

Continua dia 14/11, com informaçoes sobre as igrejas locais.

Deus abençoe!

Um comentário:

  1. Essa missão será uma divisor de aguas para a nação da India. Os ceus estarão abertos sobre vcs! Vamos permanecer em oração para que a vontade do Senhor se cumpra. :)

    ResponderExcluir